Como ser uma mãe equilibrista e feliz


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

O livro de Cecilia Russo Troiano inspira mães a equilibrarem tantos pratinhos, R$ 33 (foto: divulgação)

Na segunda-feira passada, participei do programa Encontro com Fátima Bernardes para falar sobre as mães equilibristas. Esse também é o tema do ótimo livro Vida de Equilibrista: dores e delícias da mãe que trabalha, editado em 2007, já em sua 3ª edição, de Cecília Russo Troiano. Cecília é diretora do Grupo Troiano de Branding, que se dedica ao estudo do comportamento do consumidor e gestão de marcas e está presente no mercado brasileiro e latino-americano há 20 anos. Ela é mãe e já passou e passa as dores e delícias de trabalhar fora e ter de dar conta de tudo. Como o tema fez sucesso lá no Encontro (meu Face lotou de mensagens!) e percebi que ficou um gostinho de quero mais, não tive dúvidas e corri para entrevistá-la para saber mais sobre como as mães podem se inspirar e se organizar para conseguir equilibrar tantos pratinhos.

Dani Folloni: Qual é a maior dificuldade da mãe que trabalha fora?

Cecília Russo Troiano: É a conciliação dos nossos múltiplos pratinhos. Vivemos um momento em que queremos ser e fazer tudo – ser boa mãe, ser boa profissional, boa esposa, boa dona de casa, bonita, corpo em forma, atenciosa com nossos pais…Isso exige muito das mulheres e mais ainda das que são mães. Falta tempo e sobra culpa! O dia de 24 horas fica curto e a culpa por deixar alguns pratinhos cair é bastante presente. Culpa por não dar conta de tudo…

Dani Folloni: O que você acha que é preciso para que as mulheres que são mães conseguirem ter sucesso na carreira?

Cecília Russo Troiano: Em primeiro lugar, precisa de apoio. Ninguém consegue fazer tudo sem pedir ajuda. Pode ser alguém da familia, uma escola confiável ou o marido companheiro que compartilha as tarefas. Em Segundo lugar, ela precisa baixar a mania de perfeição e aceitar que nem tudo será perfeito, que ela não precisa tirar nota 10 em tudo. Ou seja, baixar a exigência também é fundamental. Com isso, o espaço para a carreira e para todas as demais coisas ficam mais “limpos”.

Dani Folloni: Você já trabalhou em empresa e fora de uma organização. Qual dos dois cenários é mais favorável à mulher que quer ter sucesso na carreira e ser uma boa mãe?

Cecília Russo Troiano: Nossa, isso varia muito. Há empresas onde a mulher tem um emprego com jornada normal, entrando às 9 e saindo às 6. Isso dá chance dela organizar a vida, se planejar. Há outras empresas, que tem horários malucos, muitas viagens etc. Isso ja é uma compliação para ela organizar a rotina. Ou seja, no caso de vida dentro de uma organização, há locais onde é mais fácil e em outros mais difícil essa conciliação. Do lado da vida de empresária, autonoma, empreendedora, creio que também há esse mesmo dilema. depende da fase do negócio. Ser “dona do nariz”, quem vive isso sabe, é muito puxado em alguns casos e a tão sonhada “liberdade” de horários nem sempre se confirma. exemplo, no meu caso sou empresária, dona da minha agenda mas não sinto que a minha agenda me pertence…Estou nesse momento escrevendo minhas respostas à essa entrevista na sala de espera do aerporto, a caminho do Rio e só voltarei por volta das 8 da noite de uma sexta…

Dani Folloni: Quais são as cobranças que você acha inúteis e que poderíamos tirar de um vez da lista de “tem quês”?

Cecília Russo Troiano: De novo cito a mania de perfeição. não dá para tirar nota 10 em todos os papéis que desempenhados. Precisamos olhar para a nota 7 e ficar feliz! Acho que o momento pede também analisarmos todos os nossos papéis e definir pesos para eles. Queremos fazer tudo mas não tudo na mesma intensidade. Isso já alivia bem a lista, mesmo sem diminuir itens, reduz a carga sobre cada um deles.

Dani Folloni: Você sente culpa quando vai trabalhar e deixa os filhos em casa? 

Cecília Russo Troiano: Sim!! Claro que com filhos maiores, hoje eles têm 16 e 19, a culpa vai diminuindo. Mas se trabalho muito, viajo mais do que 3 dias, o curacao e a culpa começar a pegar. É natural com filhos menores, principalmente na fase da pre escola, a culpa estar no seu pico. Mas o que me acalma e que é minha dica é que nossos filhos nao querem que estejamos o tempo todo grudada neles. Eles querem ter a certeza de que vamos e voltamos. Isso é o que eles precisam sentir para crescer. E não ter pai ou mãe na cola deles o tempo todo!

 

Cecília Russo Troiano é casada e tem 2 filhos já crescidos, Beatriz, de 19 anos, e Gabriel, de 16. Também escreveu o livro “Aprendiz de equilibrista: como ensinar os filhos a conciliar família e carreira”, lançado em 2011. E mantém uma plataforma digital chamada Vida de Equilibrista para discutir o tema com outras mães.

 

 

 

 

Para ficar sabendo das novidades do It Mãe, mande um e-mail para contato@itmae.com.br

 

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)