4 ferramentas para melhorar a relação com os filhos


Redação It Mãe
por: Redação It Mãe
Nosso it-team produz o conteúdo mais antenado para mães
Como melhorar a relação com os filhos - It Mãe

Sabe quando bate um sentimento de impotência e parece que tudo o que você está fazendo simplesmente não funciona? O segredo pode estar na conexão que você estabelece com seu filho. “Quando estamos alinhadas com os nossos filhos, tudo fica melhor”, diz Andreza Carício, autora do livro “Todo santo dia: atitudes poderosas para transformar sua vida em uma jornada de crescimento diário e consistente”.  Aqui ela ensina 4 ferramentas para colocar em prática e construir uma relação com os filhos cada vez mais saudável:

Ferramenta 1 – Em qual lar emocional você está?

Antes de tudo, precisamos entender o que é um lar emocional. Andreza explica que basta se observar e listar quais são as principais emoções que você sente durante a semana. Ansiedade, raiva, stress, alegria, satisfação? Vá anotando em vários momentos do seu dia. Por exemplo: O que você sente ao acordar? Qual é o seu humor no café da manhã e como fica quando vai buscar as crianças na escola? 

Você precisa primeiro conhecer para depois melhorar a relação com seu filho. “Não tenho como transformar aquilo como não conheço”, explica Andreza. A criança vê o mundo através dos seus olhos de mãe e seu lar e o seu lar emocional influencia nisso. Então, se o lar emocional é de stress, esta é a primeira impressão de vivência que a criança recebe.

Entretanto, é importante saber que nem todas as energias que lemos como negativas são prejudiciais. O que é realmente negativo é a forma como você lida com cada uma delas. A raiva, por exemplo, é uma energia muito potente que pode ser direcionada para a produtividade, tanto da mãe quanto do filho.

“Muito do que acontece com o filho pode ter relação com o lar emocional da mãe, já que a emoção que ela expressa é o que a criança está aprendendo e observando”, explica a autora. Logo depois de identificar o seu lar emocional, procure refletir sobre o que precisa mudar nele para trazer mais positividade à sua relação com os filhos.

Ferramenta 2 – Usar do poder da sugestão

Sabe aquele comportamento que você quer que seu filho mude ou melhore? Você incentivá-lo também durante o sono do seu filho. Isso por meio da hipnose durante o sono REM? De primeira, pode parecer uma prática um tanto incomum e estranha, mas é uma ferramenta valiosa para ajudar a relação com os filhos.

Primeiramente, você precisa esperar o pequeno dormir. Depois de uns 50 minutos a criança entra no sono REM. Nessa fase, o inconsciente consegue acessar sugestões, mas a pessoa segue desacordada. 

Antes de começar a conversar com o seu filho neste estado, escreva um texto carinhoso elogiando o pequeno, dizendo o quanto ele é amado pelos pais, irmãos, por toda a família. Em seguida, fale sobre o tema desejado. Por exemplo: se você quer que ele vença os desafios que está enfrentando no momento, com a adaptação no colégio, o encorajando a ter uma atitude mais confiante e positiva. É importante usar uma voz calma e baixa para não tirar a criança deste estado de sono.

Enquanto a criança dorme, repita essa cartinha 3 vezes, diariamente, por cerca de 30 dias! Esta periodicidade foi usada pela Andreza, mas o prazo até a percepção dos resultados pode variar entre as crianças. 

Ferramenta 3 – Evitar rótulos

Por vezes, na correria do dia a dia, não percebemos as palavras que usamos com as nossas crianças. Como todas elas possuem um poder muito forte, podemos estar prejudicando-os sem nem saber.

Sabe quando você determina que um dos seus filhos é tímido e o outro é extrovertido? Quando você vai dar uma bronca e diz: você é preguiçoso, você é mal-educado… Por mais que não seja intencional, é uma forma de rotular a criança. Às vezes, tentando entendê-la acabamos limitando a identidade dela com o tal rótulo. 

A própria timidez, por exemplo, pode se transformar em uma muleta para a criança não se expressar como realmente quer. Sendo assim, evite dizer: você é assim ou assado. Em vez disso, diga: “Você está se comportando assim e isso não é legal para você” ou questione “Eu vejo que você anda com muita vergonha. Por que você está agindo assim”? Dessa forma, você não diz que a criança é o problema. E dá espaço para que ela se abra e mude, se aprimore, melhore.   

Ferramenta 4 – Estabelecer combinados

“Tive uma época de desafios com minhas filhas, quando estavam entre os 6 e 7 anos. Elas já falavam o que queriam e expressavam muito bem as próprias personalidades, além disso, desobedeciam algumas regras da casa”, conta Andreza. Foram esses comportamentos que a inspiraram a usar esta ferramenta que pode entrar na sua rotina agora mesmo.

Basicamente, existe um princípio que se chama congruência. O ser humano sempre busca ser congruente com aquilo que ele fala. Então, a ideia aqui é ter conversas com seus filhos para que eles se comprometam a fazer o combinado. 

O primeiro passo é os pais sentarem com o (s) filho (s) e perguntar o que gostaria (m) que fizessem, o que podem melhorar. Logo depois, os pais perguntam o que o (s) filho(s) acha(m) que deve(m) fazer, quais são as regras da casa que ele(s) mesmo(s) deve(m) seguir. A criança já sabe o que é certo e o que é errado, dessa forma, vai dizer o que tem que ser feito (aquilo que você já repetiu mil vezes) e se comprometerá a cumprir a própria palavra! Para deixar tudo um pouco mais didático e divertido, você pode até comprar uma cartolina e fazer com que elas faça uma lista toda decorada deste código de conduta.

Para mais dicas práticas e transformadoras sobre a relação com os filhos, confira o livro da Andreza e acompanhe-a no Instagram! Qual dessas ferramentas você vai testar no seu Projeto Mãe Sem Stress? Conta pra mim aqui nos comentários.

  • Redação It Mãe

    Nossa equipe está sempre super antenada produzindo o melhor conteúdo para as mães. Tem alguma sugestão? Mande para contato@itmae.com.br

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)